Finanças na Igreja

3
94

Deus em sua palavra não autoriza sua igreja ou o seu povo, buscar auxílio no mundo para seus problemas  financeiros. Quando o Senhor Jesus enviou seus discípulos a pregar o evangelho, Ele disse: “De graça recebestes, de graça dai.” Mateus 10:8. O apóstolo Paulo aceitou auxílio das igrejas, mas nunca do povo descrente a quem ele pregava o evangelho. Filp 4:10-19; III João v 7.

O estudo proposto visa exclusivamente apresentar o que a palavra de Deus ensina a respeito das finanças na igreja do senhor Jesus Cristo. Para isto faz-se necessário começarmos analisando o que a bíblia fala sobre o dízimo.

  1. O que a bíblia fala sobre o dízimo?  Dízimo significa a décima parte ou o percentual de dez porcento de um todo. Em Gênesis 14:20 nos mostra Abraão  apresentando o dízimo de tudo a Melquisedeque, o sacerdote do Deus altíssimo.  Jacó, depois de Ter a visão do anjo, prometeu ao Senhor o dízimo, se de novo voltasse em paz para casa de seu pai. Gênesis 28:22  a lei de Moisés declarava que a décima parte dos produtos da terra, dos rebanhos e manadas pertencia ao Senhor e devia ser a Ele oferecido. Deviam ser pagos na mesma espécie e havendo resgate deles tinha de fazer o aumento de um quinto de seu valor, Lev 27:30-33.  Este dízimo era recebido pelos levitas que tinham a obrigação  de dedicar a décima parte ao sustento do sumo sacerdote, Num 18:21-28.  Com o passar dos tempos esta lei foi modificada ou aumentada, Deut 12:5-18; 14:22-27;26:12,13. Além deste dízimo havia um segundo dízimo que era aplicado para fins festivos. De três em três anos os levitas guardavam o dízimo para as festas. Em I Sam 8:15-17 vemos no tempo dos reis um dízimo sendo cobrado para fins seculares. No tempo dos profetas a prática de dizimar era feita no reino do norte, com o fim de socorrer os pobres, Amós 4:4.  O profeta Malaquias cap 3:8-10, se queixa de que a prática estava sendo colocada de lado.  Estes são relatos das finanças na despensação da lei, onde tudo visava obrigatoriamente o cumprimento da lei.  O Senhor Jesus Cristo; diz sua palavra:  “veio para abolir a lei,”  Ef 2:15. Observemos então o que a bíblia tem a nos dizer sobre finanças a partir da instituição da igreja em uma nova despensação.  OBSERVEque a partir deste período a palavra de Deus não fala noutra coisa que não seja: “O mover de um coração voluntário” II Cor 9:17. No N.T. o privilégio de contribuir é bastante mais elevado do que antes da existência da Igreja, Atos 2:41-45. E é chamado “graça” como sendo aquilo que no coração do cristão corresponde a imensa graça que o Senhor nos tem revelado.
    1. Quem deve contribuir?   I Cor 16:2 “No primeiro dia da semana cada um de vós, ponha de parte, em casa, conforme a sua prosperidade, e vá juntando…” Observe a expressão: “cada um de vós”. Não precisamos muito esforço para percebermos  que o privilégio é de cada um. Considerando que Paulo se dirigia a igreja, concluímos que a contribuição é um privilégio reservado estritamente a igreja.
    2. Quanto deve ser a contribuição?  I Cor 16:2 “…conforme a sua prosperidade”. Note que Paulo não diz: “ponha de parte a décima parte” nem outro percentual qualquer, mas “conforme a sua prosperidade”.Em II Cor 8:11-12; Atos 11:29, novamente não encontramos nos textos nenhuma sugestão de percentual e sim que deve ser conforme as nossas posses, conforme o que o homem tem e não conforme aquilo que o homem não tem. A regra é: Inteira liberalidade e voluntariamente, Exemplos: Marcos 12:41-44 e Lucas 6:38.
    3. Qual deve ser o motivo da contribuição?  O cristão não deve contribuir com o fim de obter o aplauso dos homens, MATEUS 6;1-4. Não deve sequer aceitar constar o nome em listas e relatórios como forma de desafios. O Cristão deve achar motivos para sua contribuição no seu amor para com Deus e no desejo pela salvação de almas, I Cor 13:3; II Cor 8:8. Deve ser constrangido unicamente pelo amor divino, II Cor 5:14 e deve visar unicamente  a glória de Deus I Cor 10:31.
    4. Qual deve ser a maneira da nossa contribuição?

a)     espontâneamente  ou voluntariamente II Cor 8:3

b)    com alegria e nunca por tristeza II Cor 9:7

c)     como expressão de generosidade II Cor 9:5

  1. Qual deve ser o método para se contribuir? A palavra de Deus nos ensina que a contribuição deve ser sistemática, com regularidade e nunca casualmente.Em I Cor 16:1-2 a expressão: “No primeiro dia da semana…” sugere-nos a regularidade (todo primeiro dia da semana).
  2. Como deve ser administrado as finanças na igreja? Atos 6:3-6; I Cor 16:3-4; II Cor 8:18-21. Note as expressões: “Enviarei com cartas…aqueles”;   “Com ele enviamos o irmão”;   “Pois o que nos preocupa e procedermos honestamente “.  As duas primeiras expressões aponta para a pluralidade com relação àqueles que administram as finanças e a outra expressão nos mostra a razão da pluralidade:    “…o que nos preocupa é procedermos honestamente”. É de fundamental importância que os que tem responsabilidade com as finanças da igreja, prestem relatórios com regularidade  e transparência , pois o Senhor Deus é de ordem, I cor 14:40. É direito daqueles que contribuem saber o fim que tiveram suas contribuições.
  3. A distribuição das finanças na igreja –  A palavra de Deus nos aponta pelo menos quatro áreas para o uso das finanças:

a)     as viúvas Atos 6:1-6; I Tim 5:4-6. Nem todas as viúvas estão qualificadas para receber tal auxílio.

b)    Os crentes necessitados Rom 12:13; Gal 2:9-10; Atos 11:29. Os realmente necessitados.

c)     Os obreiros de tempo integral na obra Filp 4:15-19; I Cor 9:4-14; Gal 6:6; I Tim 5:17-18.

d)    Filantropia ou ação social Gal 6:10; tendo prioridade os da família da fé. I Tess 5:15.

9 -A recompensa ou galardão para os que contribuem – Como podemos observar, o padrão de Deus para os que contribuíam na dispensação da lei foi um, enquanto que o padrão para a dispensação da igreja é outro muito diferente. A palavra de Deus não despreza nem um, nem outro. O que ela nos ensina é que o período em que estamos vivendo não mais consiste de obrigatoriedade e sim de voluntariedade, podendo ser a décima parte ou outro percentual qualquer, conquanto que seja pôr o “mover de um coração voluntário”. Se observarmos com atenção os exemplos da nossa despensação vamos logo perceber que o dízimo seria o mínimo que um cristão que ama seu Senhor poderia dar. Os crentes da igreja primitiva não se contentavam com apenas o dizimo mas sim davam voluntariamente, não só  suas posses mas as suas vidas.Os que contribuem segundo o padrão de Deus recebem aqui na terra o prêmio do feliz conhecimento de estarmos fazendo a vontade do Senhor. Prov 11:24-25; Luc 6:38 e por fim o glorioso galardão no céu. Lugar elevado na estima do nosso Senhor Mat 6:19-2l; Luc 16:9-13; II Cor 9:6.

Fonte de informações:  Clark, Artur G

Dicionário bíblico: Boyer, O.S

Créditos ao irmão Roney Miguel pelo envio

 

3 COMENTÁRIOS

  1. IRMÃO JOSÉ APARECIDO ESTE ARTIGO SOBRE FINANÇAS É DE MINHA AUTORIA, PORÉM A PLENITUDE WEB RÁDIO TEM PLENA LIBERDADE PARA ENVIA-LO.
    E COM RELAÇÃO AO USO DO VÉU, TENHO ESTUDOS SOBRE O TEMA TAMBÉM.
    QUE DEUS CONTINUE ABENÇOANDO SUA VIDA.
    A DEUS TODA GLÓRIA

  2. A graça e a paz do senhor seja com toda a igreja amem,irmaos gostei muito do estudo esplanado q o irmao fez,trouce-me um esclarecimento q eu queria ouvir,fiquei muito contente graças a Deus, irmaos eu estava afastado da comunhao com a igreja.Mas graças a Deus q ja retornei e eu preciso das horaçoes da igreja um abraço irmaos fiquem com Deus, irmaos gostaria de receber uma copia desse estudo (finanças na igreja)ate mais,,,

DEIXAR UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here