Tribunal de Cristo X Grande Trono Branco

I – O tribunal de Cristo:

Após o arrebatamento da Igreja, cada crente haverá de  comparecer perante o tribunal de Cristo. II Co 5.10 diz: “Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem ou mal”. Paulo se utilizou do vocábulo “bem” que significa “lugar elevado”,”plataforma” isto nos dá uma idéia de como será este Leia mais

Milagres acontecem hoje?

“Jesus Cristo é o mesmo, ontem, hoje e para sempre” (Hebreus 13.8).

Um dos destaques da biografia de Jesus de Nazaré são os milagres que ele realizou pela orientação do Pai e poder do Espírito Santo. Foram tantas as pessoas beneficiadas por ele, que João, o apóstolo, afirma, hiperbolicamente, no final de seu evangelho: “Jesus realizou na presença dos seus discípulos muito outros sinais miraculosos, que não estão registrados neste livro. Mas estes foram escritos para que vocês creiam que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus e, crendo, tenham vida em seu nome. (…) Jesus também fez muitas outras coisas. Se cada uma delas fosse escrita, penso que nem mesmo no mundo inteiro haveria espaço suficiente para os livros que seriam escritos” (João 20.30-31; 21.25).

Milhares de homens e mulheres anônimos e desconhecidos tiveram suas vidas transformadas por causa de um encontro milagroso com o nazareno Jesus. Alguns deles tiveram o episódio desse encontro registrado para a posteridade nos quatro evangelhos que foram escritos. Qual o objetivo desses milagres e registros? Segundo João, para que os beneficiados e posteriores leitores cressem que Jesus é o Ungido, o Filho de Deus e, mediante essa fé, fossem salvos. Os milagres de Jesus tinham e têm em vista a salvação de quem os recebe e testemunha, mesmo que isso nem sempre aconteça. Aliás, nesse sentido, qual o maior milagre que Jesus poderia realizar por alguém?

A história da cura de um paralítico de Cafarnaum nos dá essa resposta. Jesus, ao receber em sua presença um paralítico que, mediante grande esforço e fé, lhe tinha sido trazido por quatro homens, disse-lhe: “Filho, os seus pecados estão perdoados” (Marcos 2.5). Que fala surpreendente! O que todos os presentes, principalmente aquele homem e seus quatro ajudadores, esperavam que Jesus lhe dissesse? Qual a sua maior necessidade? Ao contrário do que a maioria poderia pensar, aquele homem na maca não carecia, principalmente, da cura de sua paralisia. De que adiantaria ser encerrada a sua enfermidade, mas continuar a sua perdição? De que lhe valeria prosseguir rumo à morte eterna só que, dali para frente, com as próprias pernas e não carregado por outros? A maior necessidade daquele homem era de salvação e disso Jesus sabia muito bem. E, para provar que tinha poder para salvá-lo, à vista de todos os presentes e, principalmente, de seus críticos, ele o cura de sua deficiência.

Como Jesus realizou esse e tantos outros milagres? Como já foi escrito, “pela orientação do Pai e mediante o poder do Espírito Santo”. Jesus disse, em João 5.19: “Eu lhes digo verdadeiramente que o Filho não pode fazer nada de si mesmo; só pode fazer o que vê o Pai fazer, porque o que o Pai faz o Filho também faz”. O evangelista Lucas, em seu primeiro livro, destaca que Jesus era um homem de oração. Ele orou na ocasião de seu batismo e, enquanto o fazia, recebeu o Espírito Santo (Lucas 3.21-22). Diante das grandes demandas das multidões que vinham até ele, Jesus se retirava para lugares solitários a fim de orar (Lucas 5.15-16). Antes de tomar uma das decisões mais importantes de sua carreira ministerial, ele sai para o monte e ali passar a noite orando ao Pai (Lucas 6.12-13). Por quê? Porque Jesus, apesar de ser Deus, um com o Pai e igual a ele, lhe era submisso e precisava de sua orientação. Porque Jesus, apesar de ser Deus, um com o Espírito Santo e igual a ele, não agiria como Deus, mas, sim, como homem cheio do Espírito Santo.

Este é outro destaque de Lucas acerca de Jesus. Ele era um home cheio do Espírito Santo e, a partir disso, empreendia a sua obra. Se referindo a Jesus, a Bíblia diz: “O Espírito do Soberano, o Senhor, está sobre mim, porque o Senhor ungiu-me para levar boas notícias aos pobres. Enviou-me para cuidar dos que estão com o coração quebrantado, anunciar liberdade aos cativos e libertação das trevas aos prisioneiros, para proclamar o ano da bondade do Senhor e o dia da vingança do nosso Deus; para consolar todos os que estão tristes, e dar a todos os que choram em Sião uma bela coroa ao invés de cinzas, o óleo da alegria em vez de pranto, e um manto de louvor em vez de espírito deprimido” (Isaías 61.1-3).

Milagres acontecem hoje? Se Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e para sempre, sim! Há, entretanto, outra evidência disso. Jesus, quando estava próxima sua morte, ressurreição e ascensão, no contexto da última ceia, disse aos seus discípulos que estava para partir, que o seu tempo com eles estava acabando. Entretanto, não os deixaria órfãos. Ele e o Pai lhes enviariam o Espírito Santo, o qual seria a sua presença nos discípulos e no meio deles. Se Jesus realizou seus milagres pela orientação do Pai e pelo poder do Espírito e, hoje, o Espírito Santo está “em” e “no meio de” nós, sendo a presença do Pai e do Filho na Igreja, milagres ainda acontecem. A Igreja, hoje, é o corpo de Jesus cheio do Espírito Santo na terra. Por isso, milagres ainda podem acontecer.

 

http://insightscristaos.com/2010/06/15/milagres-acontecem-hoje/

DEZ ARGUMENTOS BÍBLICOS CONTRA O QUE CHAMAM “DOUTRINA DA PREDESTINAÇÃO”

Poderíamos se quiséssemos, passar horas e até dias listando aqui textos bíblicos, dentro de seus próprios contextos provando que, aprouve a Deus em sua infinita graça e sabedoria querer salvar a todos os pecadores. Há que se notar ainda que podemos considerar uma quantidade indescritível de base bíblica para mostrar que Deus enviou seu filho Jesus Cristo para ser Salvador de todos os pecadores, enquanto que os textos bíblicos, que deixam dúvidas, sobre a predestinação não passam de uma meia dúzia em toda extensão da bíblia sagrada. Só isso já bastaria para convencer aos que de fato querem aprender da bíblia que Deus quer e deseja salvar a todos.

Dentre as múltiplas citações escriturísticas, que contradizem o ensino de Deus haver predestinado pessoas para a perdição, as 10 seguintes devem ser destacadas, por sua objetividade e clareza ímpar.

1ª) 1 Tim. 2:4 – “O qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade.” O relato de Paulo aqui não admite divagações. Sua declaração nos leva a afirmar: ninguém foi designado para a perdição.

2º) II Ped. 3:9 – “. . . não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento.” É impossível, harmonizar – Deus não deseja que alguém se perca, com a idéia de Ele escolher pessoas para serem destruídas.

3ª) Apoc. 22:17 – “. . . quem quiser receba de graça a água da vida.” Todos têm a oportunidade, graças a Deus. Aqui entra em cena a vontade pessoal. Querer é um verbo que indica vontade, portanto a pessoa escolhe; não aparece a imposição. Maravilhoso é o livre arbítrio concedido por Deus.

4ª) João 3:16 – “. . . todo aquele que nele crê. . .” Deus decretou que todos os que aceitarem a Cristo se salvem. Não decretou que todos devem aceitar a Salvação que Ele oferece. Deus não força a vontade de ninguém.

5ª) Ezeq. 18:32 – “Porque não tenho prazer na morte de ninguém, diz o Senhor Deus, Portanto convertei-vos e vivei.” Deus tem prazer na salvação, nunca na perdição.

6ª) Mat. 7:21 – “Nem todo o que me diz : Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus.” Muitos não serão salvos, porque não aceitam as condições da salvação.

7ª) Jer. 21:8 – “. . . Eis que ponho diante de vós o caminho da vida e o caminho da morte.” Para que dois caminhos se a sorte de cada um já está traçada antes?

8ª) Atos 17:30 – “. . . agora, porém notifica aos homens que todos em toda parte se arrependam.” O convite a todos para que se arrependam seria um escárnio ao nome de Deus se os homens não pudessem arrepender. 9ª) Paulo declara em Tito 2:11 que “a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens.”

10ª) I Tes. 5:9 – “Porque Deus não nos destinou para a ira, mas para alcançar a salvação mediante nosso Senhor Jesus Cristo.” Esta declaração é muito significativa e seria suficiente para desmoronar o frágil edifício dos calvinistas. Após a leitura destas passagens a nossa conclusão só pode ser esta: Deus não predestinou que pessoa alguma se perca.

 

Colaboração Roney Miguel

 

Tatuagens “Incisões”

As incisões no corpo, quaisquer que sejam, são proibidas por Deus nas Escrituras:
“Não fareis incisões na vossa carne por um morto, nem fareis figura alguma no vosso corpo. Eu sou o Senhor”.(Lv 19,28).
Mas que significa uma tatuagem?
Quando alguém veste a camisa de um time de futebol, que significa? Significa que ele é torcedor daquele time, que ele faz parte daquela agremiação ou comunga com seus princípios.
Mas quando alguém não apenas veste uma camisa, mas marca na própria pele, significa algo muito mais profundo… significa uma adesão irrevogável, uma consagração.
Do mesmo modo que um boi é assinalado com ferro quente com a marca de seu dono, assim a pessoa que marca um símbolo na sua pele faz uma consagração àquela marca….

A marca do demônio
Geralmente as pessoas que fazem tatuagem, logo escolhem ou sugerem os símbolos: serpente, escorpião, dragão…

Que significam esses símbolos?
“A serpente era o mais astuto de todos os animais dos campos que o Senhor Deus tinha formado. Ela disse a mulher: É verdade que Deus vos proibiu comer do fruto de toda árvore do jardim?””(Gn 3,1)
– “Foi ele o teu guia neste vasto e terrível deserto, cheio de serpentes ardentes e escorpiões,”(Dt 8,15)
“Sobre serpente e víbora andarás, calcarás aos pés o leão e o dragão”(Sl 90,13)
“…porque da estirpe da serpente nascerá uma áspide, e seu fruto será um dragão voador”(Is 14,29)
“Lá havia também um grande dragão, que os babilônios veneravam.”(Dn 14,22)
“Foi então precipitado o grande Dragão, a primitiva Serpente, chamado Demônio e Satanás, o sedutor do mundo inteiro. Foi precipitado na terra, e com ele os seus anjos.”(Ap 12,9)
“Ele apanhou o Dragão, a primitiva Serpente, que é o Demônio e Satanás, e o acorrentou por mil anos.”(Ap 20,2)

Conclusão:
Não tenha dúvida: Quem marca o corpo com um dragão, serpente ou escorpião está se consagrando definitivamente ao Demônio, mesmo que não saiba disso, ou não tenha a intenção.
Um exemplo ilustra bem esta consagração, mesmo involuntária: Imagine alguém com a camisa do Cruzeiro atravessar a torcida do Atlético, ou com a camisa do Palmeiras e atravessar a torcida do Corinthians, que lhe acontece? (Mesmo que ele não seja torcedor de time algum, levará a maior surra!)
Assim mesmo que você não saiba ou não tenha a intenção, o diabo sabe e aceita a sua consagração, quando você se deixa marcar com seus símbolos! Isaias 3;24

Fernando Silva

Posso ser um cristão mesmo sem fazer parte da igreja?

Você Pergunta: Eu leio muito a Bíblia e gosto muito dos valores passados por Cristo. Entendo a obra que Ele fez na cruz para me salvar e sei que devo segui-Lo. Porém, do jeito que a igreja está hoje em dia, prefiro ser cristão sem fazer parte de nenhuma igreja. É possível eu ser um cristão verdadeiro mesmo sem fazer parte de uma igreja?
Caro leitor, tem crescido o número de pessoas que, como você, tem preferido exercer seu cristianismo mantendo certa distância da igreja. Eu entendo você em parte, pois algumas igrejas realmente têm estado muito distantes da vontade de Deus. Têm caminhado por caminhos que não satisfazem o coração de Deus. Mas será que esse é um motivo válido para você viver um cristianismo sem igreja (se é que isso é realmente possível)?

Apesar da salvação de uma pessoa não estar ligada ao fato dela estar ou não em uma igreja, é claro na Bíblia que Deus faz do salvo em Cristo Jesus um integrante de Sua igreja invisível e também aponta claramente pela inserção desse individuo na igreja visível, na igreja local. É nela e através dela que a Bíblia aponta que esse individuo melhor servirá a Deus. Esse é o padrão bíblico. Não existe em nenhum lugar da Bíblia qualquer incentivo para que as pessoas sirvam a Cristo longe de Sua igreja. A comunhão entre os santos é assunto muito recorrente nas páginas sagradas.

Essa questão de não querer congregar em uma igreja, de querer viver um cristianismo afastado do “comunitário” não é algo novo. A Bíblia trata desse assunto, que parece ter sido o alvo que o autor do livro de Hebreus queria atingir com esse versículo: “Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns” (Hebreus 10.25).

Se fizermos uma leitura aprofundada do Novo Testamento veremos que a igreja foi fundada por Jesus Cristo (Mt 16.18) e continuada pelos apóstolos e outros servos de Deus (At 2.42). Apesar de algumas pessoas na atualidade satanizarem a igreja, e incentivarem que as pessoas não façam parte dela, não é isso que vemos na Bíblia. A palavra “igreja” é usada 110 vezes no Novo Testamento, 93 das quais são descrevendo a igreja local. Ainda assim, muitas pessoas pela falta de compromisso que têm com o evangelho de Cristo, defendem que a igreja não é algo importante e fundamental na vida do verdadeiro cristão. Uma inverdade!

É evidente que existem igrejas “trigo” e igrejas “joio”. Existem falsos profetas, falsos mestres, falsos cristos (2 Pe 2.1). De tudo isso Jesus e os apóstolos nos alertaram. O que precisamos fazer é buscar uma igreja que seja bíblica para fazer parte. Apesar de alguns afirmarem que as igrejas estão todas corrompidas, generalizando, é claro, sabemos que existem milhares de igrejas cheias de crentes verdadeiros e comprometidos com Deus. Igrejas de Deus nessa terra! Não são perfeitas, mas são verdadeiras igrejas de Deus. Procure esses irmãos e some-se a esse tipo de igreja.

Por isso, caro leitor, siga o conselho bíblico: “Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns” (Hebreus 10.25).

 

http://www.esbocandoideias.com

Como posso saber se algo é pecado?

Resposta: Há dois aspectos envolvidos nesta questão: (1) Há coisas que a Bíblia especificamente menciona e declara como pecado. Exemplos disto incluem: Provérbios 6:16-19; Gálatas 5:19-21; I Coríntios 6:9-10. Não pode haver dúvidas que estas Escrituras apresentam tais atividades como pecaminosas, coisas que Deus não aprova. Assassinato, adultério, mentira, roubo, etc. – não há dúvidas de que a Bíblia apresenta tais coisas como pecado.

(2) O ponto mais difícil está em determinar o que é pecado em áreas que a Bíblia não apresenta diretamente. Quando a Bíblia não menciona um determinado assunto, temos, em Sua palavra, alguns princípios gerais que nos guiarão. (a) Quando não há referência específica na Escritura, é bom perguntar não se determinada coisa é errada, mas se é realmente boa. A Bíblia fala, por exemplo, em remir o tempo (Colossenses 4:5). Nossos poucos dias aqui na terra são tão curtos e preciosos em relação à eternidade, que não devemos jamais perder tempo com coisas egoístas, mas usá-lo somente com coisas boas “ para promover a edificação” (Efésios 4:29).

(b) Um bom teste é determinar se podemos honestamente, em sã consciência, pedir a Deus que abençoe e use a atividade em particular para Seus próprios bons propósitos. “Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus” (I Coríntios 10:31). Se há lugar para a dúvida se algo agrada a Deus, então melhor é desistir. “…e tudo o que não é de fé é pecado” (Romanos 14:23). (c) Precisamos nos lembrar de que nossos corpos, assim como nossas almas, foram redimidos e pertencem a Deus. “Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus” (I Coríntios 6:19-20). Esta grande verdade deve ter um verdadeiro impacto no que fazemos e aonde vamos com nossos corpos.

(d) Devemos avaliar nossas ações não somente em relação a Deus, mas também em relação a seus efeitos em nossa família, nossos amigos e outras pessoas em geral. Mesmo se algo em particular possa não nos ofender pessoalmente, se for ofensivo ou afetar a outra pessoa, isto é errado. “Bom é não comer carne, nem beber vinho, nem fazer outras coisas em que teu irmão tropece, ou se escandalize, ou se enfraqueça. Mas nós, que somos fortes, devemos suportar as fraquezas dos fracos, e não agradar a nós mesmos” (Romanos 14:21; 15:1). (e) Lembrem-se, finalmente, de que Jesus Cristo é nosso Senhor e Salvador, e não se pode permitir que nada mais tome a prioridade de que estejamos em acordo com Sua vontade. Não se pode deixar que nenhum hábito, recreação ou ambição tenha um excessivo controle sobre nossas vidas: somente Cristo tem esta autoridade. “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma” (I Coríntiois 6:12). “E, quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai” (Colossenses 3:17).


Tens Perguntas? Questões Bíblicas Respondidas.
www.GotQuestions.org/Portugues

Pode o cristão fazer tatuagens ou colocar piercings em seu corpo?

2 Coríntios 5.17  – Gálatas 2.20

1 Coríntios 10: 23 a 33 – I Corintios 3:16-17

Conhecida como “Body Modification“, a prática de fazer modificações no corpo tem atraído a muitos, principalmente jovens e adolescentes.

Um pouco menos radical e bem mais comum entre a galera, está o uso de piercings e tattoos.

ORIGEM

De acordo com estudos feito por antropólogos usar a pele para tatuar imagens e introduzir adornos é um costume que vem de civilizações muito antigas. Achados arqueológicos (alguns com mais de 4 mil anos) comprovam seu uso em várias culturas primitivas, como Egito, Índia, Nepal, Malásia, Tailândia, Maia, Asteca, Nova Zelândia, etc…

A popularização de tais práticas nos grandes centros urbanos advém dos anos 70, com os punks e hippes na Inglaterra e o movimento gay nos EUA (porque os gays usavam brincos?). A moda chegou ao Brasil com força total na década de 80, primeiramente entre as “tribos” do underground e culturas alternativas, se disseminando entre artistas e roqueiros, espalhando-se depois entre as mais diversas camadas sociais tornando-se um símbolo pop.

SIGNIFICADOS DIVERSOS

A origem dos piercings e tatuagens está ligada a costumes de muitas civilizações antigas, e possuem vários significados de acordo com cada época e cultura.

No Egito, piercings no umbigo eram identificadores de realeza e beleza. Uma forma de cultuar o corpo e a sensualidade.

Os Maias usavam tatuagens e piercings por motivos religiosos, estéticos e também para inibir os inimigos.

No oriente (China, Japão), a tatuagem era uma espécie de homenagem a uma determinada divindade.

No Império Romano, os escravos eram tatuados como sinal de senhorio. Entre os hebreus perfurar a orelha simbolizava um pacto de escravidão (Ex 21.6).

Em várias culturas antigas, a tatuagem era feita por feiticeiros, como parte de rituais de passagem ou de cultos pagãos, crendo que o sangue que saía das feridas levava consigo os espíritos malignos.

Na Europa do séc. XVII, a tatuagem passou a ser usada pelos marujos como um talismã, distinguindo-os dos demais.

No Holocausto, nazistas, tatuavam os prisioneiros judeus para ofenderem sua fé e dignidade.

Em algumas regiões da Europa e também nas Américas, era comum as prostitutas levarem uma marca de seus cafetões, como um atestado de propriedade.

Os membros da máfia japonesa Yakuza, tatuavam grande parte do corpo como prova de coragem e de fidelidade à gangue.

Nas últimas décadas popularizou-se o uso de tatuagens por presidiários, que tatuam o corpo com marcas que revelam sua personalidade, exibem o delito que cometeu, diferenciam a facção à qual pertencem ou ainda servem como uma espécie de código, com alguma mensagem oculta.

Tatuagens e Piercings são frequentemente relacionados à atitude de agressividade e rebeldia, com uma conotação de rompimento com os pais, o núcleo familiar e a sociedade vigente. Uma maneira de externar descontentamento e o desejo de uma vida alternativa, marginal, contrária à ordem estabelecida. Inclusive alguns setores profissionais simplesmente não contratam funcionários que tenham qualquer tipo de modificação em seu corpo, alegando que alguns adereços transgridem a visão de seriedade que a empresa ou instituição deseja transmitir.

A classe médica também tem suas restrições. Inúmeros estudos e pesquisas têm apontado os riscos de tais práticas que, mesmo seguindo todas as prescrições de higiene e realizadas por profissionais devidamente habilitados, podem acarretar infecções das mais severas, abscessos, alergias, quelóides e até hemorragias.

1. O que a Bíblia diz sobre Tatuagem?

O único texto que fala a respeito de tatuagem na Bíblia encontra-se em Levítico 19:28: “Pelos mortos não dareis golpes na vossa carne; nem fareis marca alguma sobre vós. Eu sou o SENHOR.” (Edição Almeida Revista e Corrigida).

28 “Não fareis incisões na vossa carne por um morto, nem fareis figura alguma no vosso corpo. Eu sou o Senhor”. Edição ave Maria.

Este texto faz parte de um conjunto de leis dadas por Deus ao povo de Israel. O contesto desse texto é o mesmo de outros mandamentos tais como a proibição de tocar em algum animal morto (Lv 5:2), de comer carne de porco (Dt 14:8) ou de se sentar na mesma cadeira onde antes se assentara uma mulher que estava “menstruada” (Lv 15:20). Tais práticas são inocentes em si mesmas. Elas foram consideradas erradas no antigo Israel por causa de sua associação com práticas pagãs.

Agora quais leis expressam o caráter e a santidade de Cristo? Quais podem ser identificadas como fruto produzido pelo Espírito Santo na vida de um indivíduo?

Podemos encontrar a resposta verificando quais delas se repetem em outros textos das Escrituras e do Novo Testamento. Com esta regra simples e básica de hermenêutica aplicada às  leis citadas acima, não é difícil concluir que:

a) mesmo desfrutando da Graça de Deus e tendo sido libertos da escravidão da Lei, espera-se que aquele que foi justificado por Cristo não furte mais, não busque vingança e honre os pais e também os anciãos;

b) por outro lado, não há em nenhum outro lugar da Bíblia, além da Lei Mosaica, algo que indique ser pecado  o ato de “fazer marcas no corpo”.

É verdade porém, que existem várias citações bíblicas que condenam quaisquer rituais em favor dos mortos. Não encontramos na Bíblia  condenação ao ato puro e simples de fazer marcas no corpo,

MAS a Bíblia, a Palavra de Deus é explicitamente contra fazer QUALQUER COISA, sejam elas o que for (Tatuagens, pircings, brincos, fumar, beber, dançar, jogar, malhar. Ouvir músicas, etc) se as mesmas tiverem qualquer tipo de relação com:

Homenagem a mortos, Hedonismo, idolatria etc..

O hedonismo (do grego hedonê, “prazer”, “vontade”) é uma teoria ou doutrina filosófico-moral que afirma ser o prazer o supremo bem da vida humana. Surgiu na Grécia, e importantes representantes foram Aristipo de Cirene e Epicuro.

O significado do termo em linguagem comum, surgiu no iluminismo e designa uma atitude de vida voltada para a busca egoísta de prazeres momentâneos. Com esse sentido, “hedonismo” é usado para designar o culto ao corpo, à beleza, à personalidade etc.

2. O que a Bíblia diz sobre Piercing, brincos e ou arrecadas (alargadores)?

Encontramos na Palavra de Deus alguns textos que fazem referência a isso. Gênesis 35:4 e Êxodo 32:2-3 descrevem homens e mulheres que usavam brincos nas orelhas como um tipo de adorno. Em Ezequiel 16:12 o brinco feminino aparece como uma jóia presenteada pelo próprio Deus. Tal adereço aparece também em outros textos, e em nenhum deles é tido como algo que o Senhor não aprova.

O texto usado como base para condenar o uso de brincos (para os homens) e piercings em geral, encontra-se em Êxodo 21:1-6: “Então seu SENHOR o levará aos juízes, e o fará chegar à porta, ou ao umbral da porta, e seu senhor lhe furará a orelha com uma sovela; e ele o servirá para sempre” (Ex 21:6).

Aqui lemos que a prática de perfurar a orelha entre os judeus era símbolo de uma aliança de escravidão voluntária. Todas as pessoas que vissem um homem com orelha furada saberiam que ele escolheu, de livre e espontânea vontade, ser escravo de alguém. Note que não é uma referência ao uso de brincos, mas sim ao ato de furar a orelha.

Tal costume também fazia parte do conjunto de Leis dado ao povo de Israel, e não encontramos nenhuma recomendação ou proibição a esta prática nos Livros Proféticos ou no Novo Testamento, concluindo ser, portanto, algo específico para aquele povo e para aquela época.

Sendo assim, se alguém está convencido de que brincos, piercings e tatuagens eram uma questão moral para o povo de Israel, então tal pessoa deve se abster delas. A Bíblia não declara que existia falhas morais envolvidas no uso de um piercing ou uma tatuagem.

ENTÃO É PECADO OU NÃO USAR TATUAGENS OU PIRCINGS?

O texto de 1 Coríntios 6:12 alerta: “Tudo me é lícito, mas nem tudo me convém”. Nem tudo é conveniente para o cristão, mesmo não sendo pecado. Há que se usar o bom senso em cada situação.

O jovem cristão que pensa em praticar algo ou se utilizar de algum tipo de adorno que transforme permanentemente – ou não – o seu corpo, precisa antes ponderar séria e demoradamente sobre algumas questões:

1. Por que quero fazer isso no meu corpo?  (LER) “…quer vocês comam, bebam, ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para glória de Deus.” (I Co 10:31)

2. Isto prejudicará outras pessoas? (LER) “…façamos o bom propósito de não colocar pedra de tropeço ou obstáculo no caminho do irmão.” Rm 14:13

2.1- Visa o Bem estar de nossos semelhantes?  –(LER)  “Não vos torneis causa de tropeço, nem para Judeus, nem para gentios, nem tão pouco, para a igreja de Deus”.

Aqui Paulo divide a humanidade em três classes de pessoas:

> Judeus – Evidentemente a nação de Israel

> Gentios – São todos os não judeus ainda não convertidos a Cristo

> Igreja de Deus – Todos os convertidos a Cristo, sejam eles judeus ou gentios.

A advertência aqui é que não usemos nossos direitos que são legítimos, de modo que sejamos causa de tropeço para outros.

3. Esta decisão viola de alguma maneira a autoridade dos meus pais, dos meus líderes espirituais ou governo? (LER) “Aquele que se rebela contra a autoridade está se colocando contra o que Deus instituiu” (Rm 13.2)

4. Vai causar algum tipo de mal ao meu corpo? (LER)  “O homem bom cuida bem de si mesmo, mas o cruel prejudica o seu corpo.” (Pv 11:27)

5. Vai deformar de alguma forma a minha dignidade humana? (LER) “Vivam de maneira digna da vocação que receberam.” Ef 4:1

6. Apresenta alguma aparência do mal?  (LER) “Fujam da aparência do mal.” (I Ts 5:22)

7. A natureza do que pretendo fazer é para satisfazer desejos carnais ou é para satisfação espiritual?  (LER) “Tudo o que fizerem, seja em palavra ou em ação, façam-no em nome do Senhor Jesus” (Cl 3.17)

8. Trará edificação ou a glória de Deus? (LER) “Vocês foram comprados por alto preço. Portanto, glorifiquem a Deus com o seu próprio corpo.” (1 Co 6.20)

9. Posso testemunhar da minha fé enquanto faço isso? (LER)  “Estejam sempre preparados para responder a qualquer pessoa que lhes pedir a razão da esperança que há em vocês.” (1 Pe 3.15)

10. Minha consciência terá paz se eu fizer assim? (LER) “Combata o bom combate, mantendo a fé e a boa consciência…” (I Tm 1:18-19)

* Uma resposta honesta a cada uma dessas perguntas é o que deverá definir sua escolha. São questões pessoais e diretamente ligadas à consciência, personalidade,  e principalmente ao seu caráter de cristão.

Como agir diante de situações como essas relatadas?

I Coríntios 10:23

         LÍCITO        CONVÉM        EDIFICA
Legal, Que tem amparo na leiQue é conveniente ou que é apropriado,  ou prudenteEdificante, que produz edificação ou crescimento espiritual.

Roney Miguel Brasília DF.

 

 

O fim do mundo não será em 21 de dezembro de 2012

Nos últimos meses temos visto centenas de notícias afirmando que o mundo irá acabar em 21 de Dezembro de 2012. O ‘start’ dessa situação toda se deve ao fato de o calendário solar dos maias – uma das mais importantes civilizações pré-colombianas – ter fim justamente nesse dia. Segundo a interpretação de alguns, isso significaria que esse dia seria o fim do mundo. Muitos grupos pegaram carona nesse fato e afirmam veementemente que tudo se acabará mesmo, que haverá catástrofes que dizimarão a terra e seus moradores. Alguns, inclusive, têm se preparado para esse “fim”, buscando chances de sobreviver a esse momento terrível da história, segundo eles.

Porém, gostaria de apresentar três razões bíblicas, suficientes, que mostram que essa data é apenas um engodo, uma falsa profecia como tantas outras que já foram profetizadas, buscando marcar uma data para o fim dos tempos.

1- NENHUM HOMEM SABE A DATA DO FIM DO MUNDO

Como todo ser humano, os apóstolos de Jesus eram também curiosos diante do desconhecido. Aproveitando a presença de Jesus Cristo, o Filho de Deus, eles lançaram uma pergunta certeira: “No monte das Oliveiras, achava-se Jesus assentado, quando se aproximaram dele os discípulos, em particular, e lhe pediram: Dize-nos quando sucederão estas coisas e que sinal haverá da tua vinda e da consumação do século.” (Mt 24.3).Eles queriam saber exatamente quando aconteceria o tal “fim do mundo”. Jesus, porém, preferiu mostrar a eles os sinais que mostrariam a proximidade desse dia (Mt 24. 2-33).

Todo homem está na mesma posição dos apóstolos de Jesus Cristo, ou seja, não sabem nada sobre quando será exatamente esse dia. Todas as especulações e adivinhações vistas no mundo a esse respeito não tem base bíblica alguma, pois NÃO estão pautadas na revelação de Deus, que está inteiramente descrita na Bíblia. Se não tem base bíblica, são mentiras proclamadas como se fossem verdades.

2- OS HOMENS NÃO TÊM AUTORIDADE PARA ESTABELECER DATA PARA O FIM DO MUNDO

Jesus Cristo tinha toda a autoridade para trazer à tona quando seria esse dia. Ele poderia ter consultado a Deus e tê-lo revelado aos Seus apóstolos. Porém, diante da pergunta e da curiosidade dos discípulos, Ele estabeleceu que essa informação a respeito da data do fim do mundo não está disponível senão ao próprio Deus: “Mas a respeito daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, senão o Pai.” (Mt 24.36).Com isso Jesus mostra que homem algum tem autoridade de determinar essa data, fato este comprovado, pois não temos essa data revelada na Bíblia pelos autores inspirados. O que deve acontecer, então, diante dessa verdade não revelada por Deus, é que todo homem deve usar da prudência para estar preparado para quando esse dia chegar, seja quando for.

3- O FIM DO MUNDO NÃO SERÁ COMO OS ÍMPIOS TÊM DESCRITO QUE SERÁ

A maioria do material que temos a respeito desse “fim do mundo” em 21 de dezembro de 2012 é escrito pelos ímpios e seus ‘achismos’. Porém, a descrição deles sobre esse “fim” não confere de forma alguma com o que a Bíblia fala sobre o fim. Eles apenas consideram uma destruição do planeta, uma revolta da natureza, um abalo na ordem física do universo… o que já torna suas previsões incorretas. O fim descrito nas Escrituras Sagradas tem como ápice a segunda vinda de Jesus Cristo, o juízo final e o estabelecimento do reino de Deus com seus servos, coisas que não são consideradas pelos ímpios. Assim, suas previsões são furadas, não acontecerão. Os ímpios creem em um fim de tudo, a Bíblia, porém, diz que haverá um fim que inaugurará um começo, o começo da plenitude do reino de Deus, que habitará com seus salvos.

CONCLUSÃO

Creio que os motivos apresentados acima sejam mais do que suficientes para mostrar que, como cristãos, não devemos entrar nessa onda de fim do mundo, e nem incentivar tais pensamentos, antes, devemos mostrar o que a Bíblia diz e tranquilizar as pessoas, incentivando-as a enxergar a verdade e a importância de estarmos preparados para o fim do mundo conforme mostra a Bíblia, que poderá vir a qualquer momento. Encerro com a sábia palavra de Jesus aos seus discípulos sobre a atitude que devemos ter diante de tudo isso:

“Portanto, vigiai, porque não sabeis em que dia vem o vosso Senhor. Mas considerai isto: se o pai de família soubesse a que hora viria o ladrão, vigiaria e não deixaria que fosse arrombada a sua casa. Por isso, ficai também vós apercebidos; porque, à hora em que não cuidais, o Filho do Homem virá.” (Mt 24.42-44)

 

 

Fonte:

http://www.esbocandoideias.com/2012/12/razoes-que-mostram-que-o-fim-do-mundo-nao-sera-em-21-de-dezembro-de-2012.html

Por André Sanchez