Categoria de Navegação

Família

Família,

Quando o crente é pior que o incrédulo

1ª Timóteo 5:8 “Contudo, se alguém não cuida dos seus, especialmente dos de sua própria família, este tem negado a fé e se tornou pior que um descrente”.

Não tenho base nem vejo argumentos na Bíblia para afirmar que Deus não quer abençoar as famílias. Creio sim, que Deus pensa e quer abençoar a família em tudo pois é uma instituição divina. O Sr. Deus, em sua infinita sabedoria, proveu para seu filho Jesus uma abençoada família aqui na terra. ELE fez incontáveis promessas incluindo as famílias, e sem duvida há algo especial que necessita ser considerado sob este enfoque e que nos ajudará em nossa caminhada cristã.

Paulo em sua exortação ao jovem filho na fé, Timóteo deu-lhe uma palavra dura! “… se alguém não cuida dos seus, especialmente dos de sua própria família, este tem negado a fé…”
Um crente é pior que o descrente, quando afirma ser habitado pelo Espírito Santo, quando afirma ter sido lavado pelo sangue do Cordeiro, ter nascido de novo e fazer parte do Reino de Deus e não cuida dos seus, conforme o texto acima.

O conceito de família aqui é muito mais que apenas esposa, esposo e filhos. A ideia que o apóstolo nos passa é de parentes consangüíneos. Ou seja: Além de esposa, esposo e filhos, temos nossos pais, nossos sogros, nossos avós, etc.

Quando um marido maltrata e humilha a esposa, está negando a fé. Uma esposa negligente para com o marido e que não direciona os seus encantos femininos para ele, está negando a fé. Um pai que irrita o filho, um filho que não honra o pai, que o despreza, não visita, não dá carinho nem atenção, usando como desculpa o fato de agora ser casado, igualmente está negando a fé. Os netos que por se achar pertencendo a uma outra geração, despreza, abandona, não visita, nem da carinho, diz Paulo: “Tem negado a fé e é pior do que o descrente”.
Fundamentado em outros textos bíblicos, levo o meu pensamento para mais além e digo que: Crentes que em nome de uma pseudo-verdade de que a família é marido, esposa e filhos se enquadram na mesma condição: negam a fé em grau maior ou menor.

Há ainda crentes que arraigados ao amor às riquezas, em nome do discurso hipócrita de que precisam ganhar dinheiro, esquecem da, não menos dura advertência do apostolo que diz: “Porque o amor ao dinheiro é raiz de todos os males …”(1ª Tm 6:10) e abandona, despreza os seus, nega a fé e é pior do que o descrente.
Paulo não está aqui condenando o ter dinheiro e ou riquezas, mas sim uma ambição desenfreada, um apetite desordenado pelo dinheiro, a ponto de, em nome do TER não sobrar tempo para, carinho, atenção e presença na vida daqueles que viveram suas vidas por nós, como nossos pais, sogros, avós e que agora, talvez vencidos pelo cansaço e a chegada da velhice, não podem nem conseguem ir ao encontro daqueles que um dia tanto amou.
Como cristãos, temos que abrir os olhos e a boca para interceder pelas nossas famílias, porque esta é a vontade do Senhor. E não somente isto: Mostrar-se presente, dar carinho e atenção, vale muito mais que dinheiro e presentes
Se você é solteiro, recém casado ou viúvo, não pense que não se enquadra neste ensino. Deve sim, estar do mesmo modo atento, pois o mandamento do amor não está restrito apenas a uma classe.

“Ter cuidado dos seus” é ter o desejo e agir em beneficio de todos estando próximos ou não. A Escritura é enfática: “Quem não cuida dos seus… é pior do que o descrente”.
Temos sim que ser bênção para todos, dando atenção, ajudando, amando e comparecendo.
O dever de amar a todos tem duas facetas: Nesse instante, alguém, praticando sua fé em Cristo, está orando por mim, pois se preocupa com o meu bem-estar. E eu, demonstrando minha obediência à Palavra de Deus, tenho a mesma atitude por esta pessoa.

O nome que se dá a esse sincronismo é: família, igreja, Reino de Deus.
Chame como quiser, mas não negue a sua fé nem seja contado por DEUS como descrente ou incrédulo, por faltar com o cuidado para com os de sua própria família.
MdC

Por: Roney Miguel

http://missionariosdocerrado.blogspot.com.br/2017/10/quando-o-crente-e-pior-do-que-o_26.html

Edificação, Família,

Babilônia vamos Refletir

Estive pensando um pouco sobre o frenesi que os “evangélicos” estão vivendo, frente ao anúncio da novela global intitulada “babilônia”. Já li inúmeros comentários de crentes sobre a tal novela nas redes sociais.

Os crentes estão apavorados e assustados

Agora o que me causa estranheza é como crentes estão apavorados e assustados com o anuncio daquilo que será o tema central de babilônia, um romance entre duas mulheres idosas que se assumem lésbicas, tendo esquecido ao longo das épocas de fazer os mesmos questionamentos sobre o que assistiram ao longo dos anos.

“Sede Santos porque Eu sou Santo” 1ª Pd 1:16
“Abstende vos de toda a aparência do mal” 1ª Ts 5:22

Fazendo um breve retrospecto sobre os temas da maioria das novelas globais chego à conclusão que não há diferença daquilo que se anuncia como proposta para a tal novela, em relação as demais novelas outrora apresentada por essa emissora de televisão. Vejamos:

Tiêta – 1989 Sinopse

A trama começa quando Tieta é escorraçada da cidade pelo pai, por causa do seu comportamento libertino. Vinte e cinco anos depois, Tieta reaparece, rica e exuberante, DECIDIDA A SE VINGAR DA FAMILIA. TIETA SE ENVOLVE NUM CASO AMOROSO COM O SEU SOBRINHO. Imaculada é uma das “rolinhas” do prefeito Artur da Tapitanga, que oferece para ela abrigo, alfabetização e comida, EM TROCA DE FAVORES SEXUAIS.

Pedra sobre Pedra

1992 Sinopse – A pequena cidade de Resplendor, localizada no sertão nordestino, era o palco das disputas políticas entre os Pontes e os Batista. Num DESEJO DE VINGANÇA, Pilar se casa com Jerônimo, inimigo de Murilo, enquanto este se casa com Hilda, uma jovem que sempre o amara.
Vinte e cinco anos se passam, Murilo está de volta a Resplendor e reencontra Pilar querendo fazer de sua filha, Marina, a prefeita da cidade, destino que ele reservara para seu filho, Leonardo. Mas os Pontes e os Batista terão na briga pelo comando de Resplendor um adversário perigoso: Cândido Alegria, UM HOMEM QUE ENRIQUECEU ROUBANDO E MATANDO o amigo português Benvindo Soares, e que nutre uma paixão por Pilar Batista. Mas Resplendor tem outros mistérios. A cidade recebe a visita do enigmático fotógrafo JORGE TADEU QUE SE OCUPA EM SEDUZIR E FOTOGRAFAR AS MULHERES CASADAS DA CIDADE.

Caminho das índias 

2009 Sinopse – Na trama central, UMA PAIXÃO PROIBIDA entre dois indianos de origem muito diferentes.
Ainda no núcleo brasileiro, há a história da indiana viúva Ashima, que decidiu tentar a sorte no Brasil e abriu um bar na Lapa, bairro boêmio do Rio de Janeiro. No mesmo bairro, também mora Abel, guarda de trânsito amigo de todos no bairro, mas exigente quanto às regras de trânsito. Abel é casado com a fogosa Norma, conhecida por todos como NORMINHA UMA MULHER CASADA, ousada QUE VIVE SE INSINUANDO PARA OS HOMENS DA REGIÃO.

Rei do Gado

1996 Sinopse – Uma trama marcada pelo ÓDIO ENTRE DUAS FAMÍLIAS.
Bruno Mezenga, por sua vez, vive um casamento fracassado com Léia (Silvia Pfeifer), UMA ESPOSA INFIEL QUE O TRAI com Ralf (Oscar Magrini), um mau-caráter.

O Cravo e a Rosa

2000 Sinopse – Catarina Batista (Adriana Esteves) é a MULHER MODERNA, na sociedade paulista da década de 20, QUE RECUSA O PAPEL FEMININO DE SER DONA DE CASA. Julião Petruchio (Eduardo Moscovis) é um homem cuja crença é a de que a mulher deve ser a rainha do lar. Duas pessoas tão diferentes vivem um romance contraditório. Conhecida como ‘a fera’ por botar todos os seus pretendentes para correr,

A minha pergunta concluindo essa reflexão sobre as novelas brasileiras é: Para Deus, nosso criador e salvador, o que é mais pecado?

Duas mulheres ou dois homens que se assumem homossexuais e se beijam frente aos seus expectadores?
Uma mulher de comportamento libertino que se envolve sexualmente com seu sobrinho?
Uma mulher que vive um desvairado desejo de vingança,
Um fotografo que se propõe a tirar fotos de mulheres casadas, deixando-as apaixonadas por ele,
Um homem que enriquece roubando e matando seu melhor amigo,
Uma paixão proibida e uma mulher casada e fogosa que se insinua para todos os homens da região,
Famílias que vivem nutrindo um tremendo ódio, casamentos fracassados por traição de um de seus pares,
Uma mulher que em nome da modernidade se recusa a assumir o papel feminino de boa dona de casa?
Além dessas exposições, acho prudente considerar ainda o fato de que muitas vezes, em nome da moral cristã, repudiamos publicamente aquilo que consideramos pernicioso, e de fato o é, mas nos sentamos diante da TV junto com nossos filhos, muitas vezes depois nossos devocionais, para assistirmos a pratica da pornografia, sexo grupal, brigas por dinheiro etc, etc como BBB e a FAZENDA e outras bizarrices, achando tudo muito normal.

Afinal para o nosso Deus o que é mais pecado? Como Deus vê e classifica as propostas apresentadas pela TV brasileira em suas programações? Será que o ETERNO vê e classifica o pecado como nós o fazemos? Vale muito a pena refletir.

FICA A DICA!
A Deus somente seja toda a glória.

MdC
Fonte de pesquisa:
Portal G1
Wiquipedia

Família,

Desafio aos jovens: obediência às autoridades

“Embora sendo Filho, aprendeu a obediência pelas coisas que sofreu”(Hebreus 5:8) Uma das lições básicas que Deus quer que todo jovem aprenda é saber viver sob as autoridades que Ele mesmo estabeleceu (Rom.13:1) Um dos personagens bíblicos que mais ilustra isso é o rei Josias.

Ele foi um dos mais brilhantes e destacados reis de Israel, a ponto da Bíblia dizer que “depois dele nunca se levantou outro igual” (II Reis 23:25). Já no início de sua vida ele começou a sobressair-se das demais crianças. Com apenas oito anos já reinava em Jerusalém (II Cron.34).

Fico pensando que, se estivéssemos sob autoridade de um governante de oito anos de idade, estaríamos todos chupando pirulito!! O que transformou esse menino em um monarca tão produtivo e marcante está revelado em II Cron. 34:2 “Fez o que era reto perante o Senhor… e não se desviou nem para a direita nem para a esquerda”. Aqui estão algumas evidências do sucesso de Josias frente ao povo de Israel: no oitavo ano de seu reinado, com dezesseis anos de idade, começou a buscar o Deus de um de seus antecessores – Davi. A palavra “buscar” usada no versículo três significa: “procurar conhecer ao Senhor diligente e cuidadosamente”, isto é, ele deu prioridade à leitura, meditação e obediência à Palavra de Deus. Aos vinte anos de idade Josias iniciou uma campanha para purificar Judá e Jerusalém, a fim de acabar com a idolatria da nação.

Seu compromisso com Deus era muito sério e sem temores ou dúvidas. A Bíblia diz que, resolutamente, ele: “…derrubou, despedaçou, quebrou, reduziu a pó”, terminando com todos altares, postes ídolos e imagens das cidades (II Cron.34:4 – 7). Isto, com vinte anos de idade!. Mas ele fez ainda mais:

■ restaurou a casa do Senhor (reformou-a) – vers. 10;

■ encontrou o livro da lei – vers. 15;

■ fez aliança com Deus de que obedeceria seus mandamentos, bem como todo povo de Israel –vers. 31,33. Fiquei tão abismado com as atitudes amadurecidas de Josias que, baseado nisso, cheguei a aferir: “Seu pai e avô devem ter sido homens irrepreensíveis!”. Mas…que engano! Vejamos em primeiro lugar, seu avô Manasses. Em II Cron. 33:1, 2, lemos que Manasses reinou cinqüenta e cinco anos em Israel – “e fez o que era mau perante o Senhor”. Realmente seu reinado foi desastroso:

■ vivia segundo as abominações dos gentios;

■ tornou a edificar altares a outros deuses;

■ queimou seus filhos como oferta;

■ praticava feitiçaria e consultava necromantes e feiticeiros;

■ colocou na casa de Deus uma imagem de escultura do ídolo que ele mesmo esculpiu. Vamos agora, ao pai de Josias, Amon. Ele reinou em Jerusalém por dois anos e “fez o que era mau perante o Senhor, como fizera Manasses seu pai” (II Cron.33:22). Por não ter sido humilde, por não ter reconhecido que prejudicou o reino, “conspiraram contra ele os seus servos e o mataram em sua casa”. (Vers.24). É provável que o menino Josias tenha sido um dos expectadores dos desmandos do seu pai; talvez até mesmo tenha presenciado sua morte. Como alguém, tendo um passado assim, pode tornar-se uma pessoa de tanto valor, comprometida com Deus, desempenhando um governo tão responsável? Existem dois possíveis segredos que podemos observar na vida desse jovem rei. O primeiro está em II Cron. 22:1: “Tinha Josias oito anos de idade quando começou a reinar, e reinou trinta e um anos em Jerusalém. Sua mãe se chamava Jedida…” Geralmente, nas genealogias dos reis a mulher não é mencionada. Aqui, ela é destacada. Seu nome significa “amada de Jeová”.

 

Creio que esta santa mulher exerceu uma influência extremamente benéfica nos primeiros anos da vida e do reinado de seu filho. E foi exatamente nessa época que Josias aprendeu a submeter-se à autoridade de seus pais, habituando-se, desde cedo, a buscar e honrar o Senhor. O segundo segredo da vida do rei Josias é comentado em II Cron. 23:25: “ Antes dele não houve rei que lhe fosse semelhante que se convertesse ao Senhor de todo o seu coração e de toda a sua alma e de todas as suas forças, segundo toda a lei de Moisés; e depois dele nunca se levantou outro igual”. Gostaria de recordar que o jovem Josias tinha apenas dezesseis anos de idade e era submisso à liderança da Palavra de Deus em sua vida. Pai, desenvolva na mente e no coração de sues filhos a disposição para obedecerem às autoridades impostas e o hábito de lerem, meditarem na Palavra, a fim de praticá-la. Filho, resolva buscar ao Senhor, perceba que isso é a melhor coisa que você poderá fazer. Lembre-se também que “as outras coisas vos serão acrescentadas”!

 

Quero desafiá-lo a ter uma vida como a de Josias. Para isso, é necessário, como ele, conhecer e cumprir estes dois segredos:

■ obedecer as autoridades, pois Deus as usa em sua vida;

■ sujeitar-se ao Senhor Deus e à sua Palavra.

Jaime Kemp

Família,

Seja um influenciador de sua família

Um homem temente a Deus é uma arma tremenda nas mãos de Jesus. Portanto se você sabe exatamente quem você é e o que está fazendo aqui, pode perceber as pessoas sem orientação de Deus, arriscando perder a identidade familiar, devido à influência das tradições e paixões dominadoras do mundo.Sua inspiração vai sugerir incutir a quebra desses paradigmas para excitar a renovação das coisas que não funcionam.

A influência do pai

Conheço uma família com um filhinho de dois anos. Fiquei impressionado. A influência do pai sobre a criança é tanta que ele chama sua mãe de “a papai”. Isso mesmo. Um contraste do que vimos na série de TV “A Família Dinossauro”. No cotidiano da família Silva Sauro, o bebê chamava seu pai, “não é a mamãe”.

Por ausência da influência paterna, muitos filhos não conseguem assimilar a personalidade do pai e terminam imitando a mãe.

O sucesso profissional que trouxe a estabilidade financeira ou a disposição na luta cotidiana para o sustento da família; a libertação iniciada por Jesus com a conversão, não foram dados por Deus para serem confinadas em si, como uma vitória individual, mas para se tornar conhecida e contagiar a todos principalmente os que vivem sobre sua influência. Do contrário você pode se distanciar demais, afetando o entusiasmo da família (Mc. 4: 21-25).

A sociedade capitalista fez com que os pais perseguissem o desejo da estabilidade financeira porque afirma trazer brio junto à família. Tomado como legitimação pelo desejo de ver os filhos seguros e assistidos, mesmo porque o que o governo garante como saúde, escola, morada, transporte e outras necessidades básicas é uma vergonha; os pais são tentados a negar radicalmente a função de influenciador, entregando-a a qualquer autoridade escolar ou forma de sociedade o que de direito exclusivo recebera de Deus.

Se você se preocupa de fato com seu filho, seja uma influência positiva para ele e ele te elogiará (Rm 13.3), mas se você quer ser deus, senhor e juiz absoluto para seu filho, dando toda segurança que o mundo não pode dar, mas, contudo sem a presença influenciadora do seu amor, se prepare para testemunhar o dia da revolta dele contra toda estrutura que você lhe deu.

Os filhos com formação sem limites ao completarem dezoito anos, a primeira coisa que eles dizem aos pais é que agora já podem ser preso, portanto não são mais obrigados a irem à igreja. Dependendo do seu próprio zelo (por não terem influência paterna), terminam encontrando numa grande árvore no meio da madrugada, a morte precoce entre as ferragens do seu carro novo – presente do pai por entrar na faculdade “particular”, embora o presente mais pareça um “cala a boca”. Isso quando não perdura transformando o dito em uma espécie de “filho cangurú” envelhecendo em casa as custa dos pais.

Sem constituir família embora possa, tornam-se como galhos secos sem fruto.

Atrase um pouco seu passo caso você possa fazer isso com mais facilidade que os outros. Não compensa se distanciar demais dos seus filhos, mesmo que isso seja para trazer mais êxito financeiro. Melhor, é andar junto daqueles a quem você ama para não perder a influencia do amor familiar.

Seja um influenciador da sua família e viva feliz.

 

Autor(a): Luiz Clédio

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.