Categoria de Navegação

Edificação

Edificação,

O miserável novo evangelho

O novo evangelho que o mundo e a cultura aplaudem, é meramente social, é um cristianismo sem Cristo, um perdão sem arrependimento, uma salvação sem regeneração; um Deus sem santidade, um céu sem inferno. (Josemar Bessa). 

Quando li esse pequeno texto fiquei meditei acerca do evangelho que as Escrituras nos apresentam, e o que os “evangélicos” acreditam e pregam. Infelizmente é esse evangelho descrito por Josemar Bessa, que nos é muitas vezes pregado nos púlpitos das igrejas; um evangelho medíocre que é oferecido como sendo o EVANGELHO da Escritura. Vamos analisar o “novo evangelho”, ou melhor, o falso evangelho, este de muitas facilidades, que não conhece renuncia, tudo é permitido; onde o homem é o centro e realiza todo o processo da salvação e Cristo apenas complementa.

O Novo evangelho ou Falso evangelho?

Quando falamos desse novo evangelho, falamos de “boas novas”, ou “alegres notícias”, isso quer dizer que a finalidade do evangelho é alegrar os pecadores, é massagear o ego das pessoas dizendo o que elas querem ouvir, falar e pensar, sem contradizê-las. E muitos pregadores da atualidade pregam justamente aquilo que as pessoas querem ouvir, a fim de agradá-las e torná-las adeptas ao evangelho. Aqui Cristo é anunciado apenas como salvador, amoroso, o solucionador de todos os problemas. Promessas de riqueza, saúde, fama e poder tem sido anunciadas como sendo o evangelho. “Venha e aceite Jesus e terá direito a essas bênçãos”. Nesse novo evangelho é o homem quem aceita a Cristo, é ele quem decide o que quer, o homem é o centro, o culto tem que ser como lhe agrada e, sem falar que suas músicas são todas centradas em si, onde Deus é apenas um mero empregado que tem a obrigação de satisfazer seus desejos.

E é justamente a pregação desse novo evangelho, que tem inchado o cristianismo, um evangelho que não converte vidas, apenas convence, não regenera. Onde não há renúncia, esta é a razão pela qual a igreja não tem mais incomodado o mundo. Onde a maioria dos crentes estão cegos, pois, consideram esse inchaço uma conquista, quando na verdade é o sintoma de que algo não vai nada bem com a igreja de Cristo.

O antigo e verdadeiro evangelho é centrado na cruz, onde Cristo é o centro e tudo é feito por Ele, por meio Dele e para Ele. Não está preocupado em agradar homens, antes sua única finalidade é a glória de Deus! Gostaria de citar a música do grupo Logos “O Evangelho” que resume de forma espetacular e sublime o que é o evangelho.

Por Luciana Barbosa

O Evangelho (Logos)

Mas o verdadeiro evangelho exalta a Deus
Ele é tão claro como a água que eu bebi
E não se negocia sua essência e poder
Se camuflado a excelência perderá!

Refrão
O evangelho é que desvenda os nossos olhos
E desamarra todo nó que já se fez
Porém, ninguém será liberto, sem que clame
Arrependido aos pés de Cristo, o Rei dos reis.

O evangelho mostra o homem morto em seu pecar
Sem condições de levantar-se por si só …
A menos que, Jesus que é justo, o arranque de onde está
E o justifique, e o apresente ao Pai.

Mostra ainda a justiça de um Deus
Que é bem maior que qualquer força ou ficção
Que não seria injusto se me deixasse perecer
Mas soberano em graça me escolheu

É por isso que não posso me esquecer
Sendo seu servo, não Lhe digo o que fazer
Determinando ou marcando hora para acontecer
O que Sua vontade mostrará.

Refrão
O evangelho é que desvenda os nossos olhos
E desamarra todo nó que já se fez
Porém, ninguém será liberto, sem que clame
Arrependido aos pés de Cristo, o Rei dos reis.

Porém, ninguém será liberto, sem que clame
Arrependido aos pés de Cristo, o Rei dos reis.

Eu sinto verdadeiro espanto no meu coração
Em constatar que o evangelho já mudou.
Quem ontem era servo agora acha-se Senhor
E diz a Deus como Ele tem que ser …

Edificação,

Estilo de vida evangelistico

Para se pensar em o que é um estilo de vida evangelístico, indubitavelmente, a que se pensar primeiro no significado da expressão “estilo” em seguida “estilo de vida” os mais variados estilos de vidas possíveis e existentes para entendermos de fato o que é um estilo de vida evangelístico. Pois bem, vamos então as definições:

Estilo

A palavra estilo, do latim stilu(m), no contexto em questão é um modo de vida; um procedimento, uma atitude, uma maneira de ser.

Também pode ser definido como: Uso, costume, hábito, modo: ex: vestir segundo o estilo da época.

Estilo de vida

É uma expressão moderna que se refere à estratificação da sociedade por meio de aspectos comportamentais, expressos geralmente sob a forma de padrões de consumo, rotinas, hábitos ou uma forma de vida adaptada ao dia-a-dia. Estilo de vida é a forma pela qual uma pessoa ou um grupo de pessoas vivenciam o mundo e, em conseqüência, se comportam e fazem escolhas.

Conceituando as expressões descobrimos, por exemplo, que uma pessoa que diz possuir um estilo de vida atlético é, sem dúvida, alguém que não seja sedentário, que pratica exercícios físicos todos os dias, que não consegue viver sem a prática desportiva.

Alguém que se apresenta como tendo um estilo de vida boêmio é o indivíduo “que leva uma vida desregrada”, num estilo de vida caracterizado pela despreocupação com relação a bens materiais, a grandes projetos, às normas. O que leva vida despreocupada; farrista; vadio; estróina.

Outro por exemplo que se apresenta como tendo um estilo de vida empreendedor é aquele detentor de um espírito independente, que inicia uma atividade empresarial para satisfazer as suas ambições de independência. Que centra a sua atenção na dinamização de atividade econômica, criando, comprando ou contribuindo para o crescimento de empresas, em resposta a oportunidades de negócio identificadas.

Do mesmo modo podemos entender que alguém que se apresenta como tendo um estilo de vida evangelístico, seja aquele que faz de sua vida, do seu trabalho, do seu tempo, de suas oportunidades motivos para anunciar que Cristo morreu pelos nossos pecados e ressuscitou, que Ele nos ama e que o pecador precisa arrepender-se dos seus pecados para ser salvo do inferno, começando de nossa rua, cidade e até os confins da terra. Estilo de vida evangelístico, não é e nem pode ser resumido a freqüentar uma igreja uma vez por semana, participar de grupos e ou departamentos, juntas evangelísticas, momentos e eventos. Estilo de vida evangelístico tem que necessariamente ser o nosso respirar conforme At. 1:8; I Co. 15:1-4; At. 3:19; Mat 28:19;Jos 1:8ª; Deut 6:6-9.

Sem fazer da nossa vida, tempo, emprego, profissão, oportunidades, um motivo para testemunharmos, sem falar sobre pecado, arrependimento, morte e ressurreição de Cristo, jamais poderemos dizer que temos um estilo de vida evangelístico, estaremos enganados e podemos estar enganando as pessoas com falsas promessas que Deus não faz em Sua Palavra.

Vislumbro com tristeza e pesar no coração que infelizmente poucos dos que fomos lavados e remidos no sangue do cordeiro temos tido de fato um real “estilo de vida evangelístico”.

Que o nosso Deus tenha misericórdia de nós.

MdC – Roney Miguel

Edificação, Estudos Bíblicos,

Como Deus fala em nossos dias

Tenho ouvido nesses últimos dias pessoas afirmando que Deus falou com elas, tipo: Hoje pela manhã Deus falou comigo, estava viajando quando Deus falou comigo, ou Deus me revelou em sonhos que eu devo fazer issoou aquilo.

“AMADOS, PROCURANDO EU ESCREVER-VOS COM TODA A DILIGÊNCIA ACERCA DA SALVAÇÃO COMUM, TIVE POR NECESSIDADE ESCREVER-VOS, E EXORTAR-VOS A BATALHAR PELA FÉ QUE UMA VEZ FOI DADA AOS SANTOS.” Judas 3.

“TOMAI TAMBÉM O CAPACETE DA SALVAÇÃO, E A ESPADA DO ESPÍRITO, QUE É A PALAVRA DE DEUS;” Efésios 6:17.

Afirmações como essas tem me levado a refletir sobre o modo como Deus continua a falar aos seus nos dias atuais tais como:Como Deus fala, hoje? Como Deus revela a Sua vontade a nós, hoje? Como Deus fala aos homens hoje? Como Deus fala-nos em tempos de tristeza e morte, a fim de trazer-nos conforto e paz? Os dois versículos do nosso texto dão-nos respostas a todas essas perguntas.

A BÍBLIA É A PALAVRA FINAL DE DEUS AOS HOMENS

Judas 3 diz: “Amados, procurando eu escrever-vos com toda a diligência acerca da salvação comum, tive por necessidade escrever-vos, e exortar-vos a batalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos.” “Fé”, nesse caso, não se refere à fé pela qual uma pessoa recebe a salvação. Não se refere à convicção nem a confiança que tem o salvo no Senhor Jesus Cristo para a salvação. Essa “fé”, ou literalmente a ÚNICA fé, aqui, refere-se a todo o corpo de doutrina que o Senhor deu ao Seu povo pela revelação. Refere-se ao corpo da verdade revelada. A Bíblia, às vezes, refere-se a essa fé como a PALAVRA DA FÉ (Romanos 10:8). “FÉ”, nessa passagem de Judas, é um termo objetivo e se refere à totalidade daquilo no qual os cristãos crêem.

Judas menciona o fato de que essa fé, ou, ainda, a Palavra de Deus, FOI DADA aos santos. A palavra grega traduzida aqui como “dada” significa que esse ato se completou no passado sem que tivesse continuidade. A força da expressão “uma vez” no grego exclui qualquer possibilidade de repetição. “De uma vez para sempre” é o que essa expressão significa.

Toda a verdade de Deus para o homem está contida nas Escrituras, pois, “de uma vez para sempre”, foi-lhe entregue a Palavra de Deus, a Bíblia. Tudo aquilo de que precisamos saber de Deus e da nossa relação com Ele encontra-se na Bíblia Sagrada. Toda a verdade que veio de Deus contem-se nas Escrituras. A Bíblia é a única revelação que Deus nos deu. A revelação de Jesus Cristo nas Escrituras foi a última palavra entregue por Deus ao homem. Dessa forma Deus deu a Sua última palavra. Ele não tem mais nada a adicionar ao que está expresso na Bíblia Sagrada. Nenhuma nova revelação deve ser esperada. A Palavra de Deus foi dada uma única vez. A fé foi dada uma única vez.

Não estamos dizendo que Deus não poderia dar uma nova revelação se quisesse. Esse não é o assunto agora! Estamos afirmando que Deus não revela novos fatos porque é isso que Judas e outros afirmam, na Bíblia. A Bíblia é a total e completa revelação de Deus para o homem.

TUDO o que se exige que o homem saiba de Deus, o Seu trabalho e a Sua vontade contem-se nas Escrituras. Nada, além disso, é necessário. As Escrituras são absolutamente suficientes para se saber as coisas de Deus. “Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa”, diz o Apóstolo Paulo em II Timóteo 3:16-17, “para que o homem de Deus seja perfeito (espiritualmente amadurecido), e perfeitamente instruído (totalmente equipado) para toda a boa obra.”

A Bíblia é a verdadeira e completa revelação de Deus para o homem. Deus não tem nada mais a dizer ao homem debaixo do céu que não possa ser achado na Bíblia.

Então, se a revelação de Deus está completa, não pode haver mais nenhumas visões, revelações, sinais milagrosos ou predições infalíveis. São realmente reivindicadas visões, sonhos divinos vindos de Deus, vozes e dons especiais de profecia, pois há aqueles que querem receber comunicações especiais ou inspiradas de Deus. Mas o Senhor Jesus claramente afirma-nos, em João 15:15, que “… tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho feito conhecer.” Como pode alguém reivindicar a possibilidade de mais revelação levando em conta essa declaração?

Provérbios 30:6 adverte-nos: “Nada acrescentes às Suas palavras, para que não te repreenda e sejas achado mentiroso.” Nosso texto, em Judas 3, diz que a fé foi dada aos santos uma vez e que vale para sempre. Como uma pessoa pode acrescentar algo à fé que uma vez foi dada aos santos?

Qualquer profecia, depois dos tempos dos Apóstolos, é anátema, segundo Deus.

“Todo o conselho de Deus relativo a todas as coisas necessárias para a Sua própria glória, a salvação do homem, fé e vida, ou está expressamente afirmado ou necessariamente contido nas Escrituras Sagradas; nada pode ser-lhe acrescentado, seja por nova revelação do espírito, seja pelas tradições dos homens.”

Muitas pessoas, hoje, querem “uma nova mensagem do céu” em vez das Escrituras Sagradas. Alguns, com olhos escurecidos, lêem as próprias declarações do Filho de Deus e, depois, procuram por coisas mais excitantes fora delas! As pessoas que buscam sonhos e VISÕES como sendo revelações vindas de Deus estão pressupondo claramente que a Bíblia não pode tornar um homem perfeito e perfeitamente instruído para toda a boa obra. Estão negando a suficiência das Escrituras!

Henry W. Frost, um dos principais escritores do movimento Pentecostal moderno, fez uma declaração reveladora em seu livro “Cura Miraculosa” (Publicações Evangélicas Selecionadas, São Paulo, páginas 99-100, 1984.):

“Talvez se possa esperar com confiança que, à medida que a atual apostasia aumentar, Cristo manifestará Sua deidade e Seu senhorio em proporção cada vez maior através de sinais prodigiosos, inclusive curas. Não dizemos, portanto, que a Palavra é suficiente. É suficiente para os que a conhecem e acreditam nela; mas não é para aqueles que nunca ouviram falar dela ou que, tendo ouvido, não creram nela. Para essas pessoas, deve ser feito um apelo num plano mais facilmente entendido, a saber, no plano físico.”

Esse modo de pensar, abertamente e sem nenhuma ressalva, nega que a Bíblia seja capaz o suficiente para suprir todas as necessidades do homem

DEUS FALA AOS HOMENS HOJE PELA BÍBLIA

Os meios ou as ferramentas pelos quais Deus fala aos homens hoje não são visões, sonhos, vozes ou dons especiais de profecia. O meio pelo qual Deus fala hoje é a Palavra de Deus escrita.

O Apóstolo Paulo diz em Efésios 6:17: “Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a Palavra de Deus.” O Apóstolo Paulo está dizendo aqui que o Espírito Santo de Deus usa a Palavra de Deus para falar e para fazer o Seu trabalho nesse mundo hoje. A Palavra de Deus escrita é a espada, o instrumento e a ferramenta do Espírito Santo, com os quais Ele opera nesse mundo para falar aos homens, hoje. As Escrituras são uma espada afiada que convence os homens do pecado, mostra a ira de Deus, refuta o erro e a heresia, resiste às tentações de Satanás e revela a vontade de Deus.

A BÍBLIA e SOMENTE A BÍBLIA é a Palavra de Deus, hoje. O único meio pelo qual o Espírito Santo fala a esse mundo hoje é a Palavra de Deus escrita, a Bíblia. Somente nEla e através dEla que chegamos ao conhecimento dAquele que é a imagem do Deus invisível e ao contato com Ele.

Como sabemos qual é a vontade de Deus, hoje? Como descobrimos qual é especificamente a vontade de Deus para nossas próprias vidas? Lideres espirituais capacitados por Deus pais e amigos podem ajudar-nos a entender a mensagem e o significado da vontade de Deus, mas eles, contudo, devem estar baseados nas Escrituras Sagradas. Não há nenhum conhecimento da vontade de Deus de que o homem necessite hoje que não esteja declarado na Bíblia ou que não possa ser deduzido da Bíblia através de meditação espiritual dEla.

Toda necessidade espiritual que possamos ter está completamente abordada na Palavra de Deus escrita. Ela é absolutamente suficiente para cada necessidade que possivelmente tenhamos, se não em declarações diretas, em princípios estabelecidos. II Timóteo 3:16-17 afirma que “toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra.” Escute! O Espírito Santo nunca revela nada à alma que não está nas Escrituras! Não tenha dúvidas!

E a vontade de Deus para a tua e a minha vida?

Como Deus revela a Sua vontade a nós, hoje?

Em primeiro lugar, precisamos reconhecer que a vontade de Deus está sempre concordante com a Sua Palavra. Deus não tratará conosco sem observar a Sua palavra (as Escrituras Sagradas)!

E as fortes impressões que as vezes nos animam a fazer algo para o Senhor? O perigo de confiar que impressões são mensagens ou instruções de Deus está no fato de que, além do Espírito Santo, existem outros seres espirituais e influências que podem trazer-nos impressões. I João 4:1 diz: “Amados, não creiais a todo espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo.” E o fundamento pelo qual julgamos os espíritos é, obviamente, a Palavra de Deus.

Quando uma mulher se sente “impressionada” ou “conduzida pelo espírito” para liderar uma igreja, ela não está sendo movida pelo Espírito Santo, está guiada por um “outro espírito”, porque as Escrituras Sagradas, pela qual o Espírito de Deus fala, proíbe radicalmente que as mulheres exerçam liderança espiritual na igreja. I Timóteo 2:12. Se um jovem Cristão se sente “conduzido” a se casar com uma incrédula, ele está sendo movido por um “outro espírito”, não pelo Espírito Santo, porque a Palavra de Deus proíbe isso estritamente em II Coríntios 6:14-18.

O critério que devemos usar para julgar a liderança do Espírito em todas as coisas é unicamente a Palavra de Deus. Tudo deve ser medido pela Palavra de Deus. O Espírito Santo comove as pessoas para que façam coisas. Mas sempre concordantes, fundadas e consistentes tendo em vista a Palavra de Deus escrita.

O Espírito Santo faz que o coração se disponha a aceitar a verdade e os deveres ensinados pelas Escrituras. Quando ficamos fortemente comovidos a testemunhar a alguém sobre o Senhor Jesus Cristo, é porque o Espírito Santo está implementando a Palavra de Deus que nos manda pregar o Evangelho a toda criatura. Num tempo ou outro, lemos ou recebemos essa instrução da Palavra de Deus e Ele impressiona essa verdade em nossos corações em relação a algum indivíduo particular.

Pensemos um pouco mais sobre a obra que o Espírito Santo tem de falar através das Escrituras. Como é que o Espírito Santo fala pela Bíblia? Como é que Ele fala pela Palavra de Deus?

É possível que alguém conheça fatos da Bíblia e, ainda assim, não saiba qual é a vontade de Deus. Os Judeus, na época de Jesus, tinham as Escrituras e a conheciam nos mínimos detalhes de cada letra e, mesmo assim, não conheceram a Deus, o Filho, quando apareceu entre eles. O que estava errado?

A Palavra de Deus é uma espada, uma espada afiada de dois gumes, mas a sua eficácia depende do Espírito Santo. Sem a obra do Espírito Santo na Palavra, Ela não é eficaz. O Espírito Santo faz com que a Palavra de Deus seja eficaz e poderosa. Um pregador explica isso da seguinte maneira: O ESPÍRITO NÃO NOS ENSINARÁ SEM A PALAVRA. A PALAVRA NÃO NOS ENSINARÁ SEM O ESPÍRITO.

O Espírito Santo ilumina o nosso entendimento e conduz a nossa vontade para que façamos o que agrada a Deus. O Espírito Santo opera na palavra e pela palavra, abrindo o nosso entendimento aos ensinos, às advertências, às condenações e a convites da Palavra de Deus. Deus fala hoje pela operação iluminadora do Espírito Santo, abrindo a compreensão daqueles em quem Ele trabalha, para que façam a sua vontade como é revelado na Sua Palavra.

ALGUMAS APLICAÇÕES

1ª Se Deus fala pela Palavra escrita, a espada do Espírito, temos que nos tornar estudantes diligentes da Sua Palavra se queremos saber qual é a Sua vontade. Sabendo qual é a vontade de Deus, muitos problemas podem ser resolvidos se, em vez de perguntar “é essa a vontade de Deus?”, perguntássemos, “isso está de acordo com a Palavra de Deus?”

2ª Se Deus só fala pela Sua Palavra, hoje, é essencial que oremos para que o Espírito Santo nos ilumine de forma que possamos entender a Palavra que recebemos. Não precisamos de revelações adicionais de Deus. Precisamos orar para que o Espírito de Deus nos ilumine de tal forma que entendamos a Sua Palavra que já temos conosco. Temos que orar fervorosamente para que o Espírito de sabedoria e de revelação abra os olhos da nossa compreensão. Precisamos orar como Davi no Salmo 119:18, “Abre Tu os meus olhos, para que veja as maravilhas da Tua lei.” Essa é uma oração que pede a obra iluminadora do Espírito Santo.

3ª Se a Bíblia é a fé uma vez dada aos santos, como Judas 3 diz que é, temos que orar, temos que ensinar e distribuir a Palavra de Deus com toda dedicação. De outra forma, o mundo não se conforma à vontade de Deus para a salvação, no cotidiano ou em qualquer outra atividade.

4ª Se somos chamados para batalhar pela fé que Deus deu aos santos para sempre, sobre a qual Deus nos deu Sua última palavra, temos que rejeitar qualquer reivindicação por novas revelações. Nem anjos nem milagres devem levar-nos a aceitar qualquer acréscimo à Palavra de Deus escrita. A Palavra de Deus escrita é perfeita, completa, suficiente e o homem de Deus deve, portanto, recusar qualquer outra revelação.

Algumas seitas reivindicam o fato de Deus ter se pronunciado através de outros livros desde a época em que a Bíblia foi escrita. Por isso temos “Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras”, “O Livro de Mórmon”, “Doutrinas e Alianças” e “Pérola de Grande Valor”. Algumas das marcas de uma seita são reivindicar outros livros, outras revelações consideradas necessárias além da Bíblia e que Deus continua falando desde que a Bíblia se completou.

CONCLUSÃO

A Bíblia, a preciosa Palavra de Deus, é de extrema importância. Tudo o que se relaciona à salvação, à vida presente e ao porvir depende dela.

Deus, por meio da Bíblia, fala aos pecadores perdidos. A Bíblia fala aos homens e às mulheres e aos meninos e às meninas que estão perdidos no pecado e indo ao inferno por isso. A Bíblia nos diz que não há nada que um pecador possa fazer para se salvar ou para ajudar a se salvar. A Bíblia nos diz que a salvação é uma obra da graça de Deus e que, somente quando o Espírito Santo regenera um pecador e lhe dá vida espiritual, esse pecador pode arrepender-se dos seus pecados, crer no evangelho de Jesus Cristo e ser salvo.

A Bíblia tanto manda quanto convida a que o pecador se arrependa de seus pecados e venha a Cristo para a salvação. Que o Espírito Santo ilumine cada coração hoje, abrindo os olhos de forma que  entendamos e respondamos à vontade de Deus como é revelado na Sua Palavra.

Comentários de LAURENCE JUSTICE

Universidade Batista de Oklahoma

Seminário Teológico Batista do Sudoeste.

Lider da Igreja Batista na Avenida Kentucky, Oklahoma City, a Primeira Igreja Batista de Willow, Oklahoma,

Colaboração: Roney Miguel

Edificação,

Quer saber o que penso sobre o MMA?

Ei, você é cristão e, ao mesmo tempo, apaixonado por MMA?

Tenho uma pergunta a lhe fazer: Você conhece a origem dessas artes marciais mistas? Sabia que muitas delas, milenares, estão fundamentadas no budismo, pagão e espírita? Todas as suas formas, praticamente, estão relacionadas, ainda (hoje!), a práticas ocultistas orientais. Vejamos.

Aikido. É claramente um ritual religioso pagão. O termo aikido significa “caminho da união com o espírito universal”.

Capoeira. Como praticada no Brasil, é ocultista, oriunda da África, trazida para cá pelos escravos. É vinculada a candomblé, bruxaria, macumba.

Jiu-ji-tsu. É um misto de kung-fu e golpes japoneses. É violento, brutal, selvagem, mortal.

Judô. É um tipo de jiu-ji-tsu, mas menos selvagem.

Karatê. É uma espécie de kung-fu, mais popular no Ocidente.

Kung-fu. É o modelo primitivo e milenar, donde procederam várias outras modalidades.

Ninju-tsu. É o kung-fu japonês, que foi proibido no século XVII, por sua relação com poderes malignos ocultos.

Tai-chi-chuan. É a forma considerada “leve”, “suave”, do kung-fu.

Sobre o MMA

Portanto, o problema do MMA não é apenas a violência, algo que, por si só, depõe contra essa prática “esportiva”. O problema maior é que o cristão que se envolve com o MMA está, de alguma forma, ainda que não admita, se envolvendo com o ocultismo. Que o Senhor Jesus nos ajude, a fim de não nos conformarmos com este mundo (Rm 12.1,2).

Ciro Sanches Zibordi

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.